A Nvidia mostrou a sua nova geração de sistemas de processamento gráfico (GPU) e de computação (CPU) no recente certame Siggraph 2014 que decorreu em Vancouver, no Canadá, entre 10 a 14 de Agosto. Na 41ª edição desta conferência anual e exposição de soluções de computação gráfica e imagem de síntese, onde estiveram presentes mais de 6000 especialistas internacionais e 175 empresas expositoras, a NVidia deixou claro que pretende continuar a liderar no seu mercado tradicional – que são os sistemas GPU avançados – ao mesmo tempo que se prepara para avançar igualmente para novos mercados e aplicações com novas soluções integradas CPU e GPU para uma nova geração de dispositivos móveis a 64-bit.

O certame Siggraph 2014 foi precisamente seleccionado pela Nvidia para a promoção da sua nova geração de soluções, uma vez que ali convergem algumas das comunidades mais destacadas na área de desenvolvimento de conteúdos e software de vanguarda e as que exploram ao limite as capacidades das plataformas disponíveis, desde o cinema de animação até aos projectos de investigação mais arrojados na área da computação, visualização e realidade virtual.

E é precisamente para essa comunidade de utilizadores que se orienta a nova gama de soluções GPU profissionais Nvidia Quadro que ali foi apresentada. Orientada para profissionais e cientistas que trabalham com modelos complexos, cada vez de maior dimensão, conjugados com sistemas de visualização em resoluções de 4K ou mais, a nova gama GPU Quadro vem simultaneamente responder ao incremento de capacidade de cálculo e à tendência crescente de sistemas distribuídos que permitem aos utilizadores trabalhar sem limitações, inclusivamente agora com dispositivos móveis.

De acordo com a Nvidia, a introdução de novos dispositivos portáteis de alto desempenho, tal como o iPad Air da Apple, vem exigir uma nova abordagem à computação visual, suportando a interacção em estações de trabalho locais, com visualização remota de grandes quantidades de dados em serviços de armazenamento em cloud, tudo com o mesmo nível de fiabilidade associado às aplicações empresariais mais exigentes.

Para isso, a nova gama de placas gráficas Nvidia Quadro oferecem não apenas processadores ainda mais rápidos, mas ampliam também significativamente a capacidade de lidarem com maiores capacidades de dados e funções de conectividade.
A nova gama Nvidia Quadro já foi testada por equipas de trabalho na indústria automóvel e em grandes produções cinematográficas, por exemplo, permitindo interligar utilizadores dispersos por todo o globo e que usam diferentes tipos de dispositivos. Esta gama GPU vai ficar disponível na oferta base de estações de trabalho da Dell, HP e Lenovo, bem como ao mercado OEM já a partir do Outono.

A nova gama inclui as placas Nvidia Quadro K5200, K4200, K2200, K620 e K420, todas com o dobro do desempenho de aceleração DirectX, OpenCL e OpenGL, em relação aos modelos correspondentes da anterior geração. Esta nova gama é compatível com PCs, Macs e tablets e está já certificada para trabalhar com aplicações de desenho tridimensional Adobe CC, Autodesk Design Suite e SolidWorks 2014 da Dassault Systèmes, com as quais proporcionam uma melhoria de 40% no desempenho médio.

Mas é sobretudo a capacidade integrada de constituir enormes sistemas de cálculo distribuído e ligação a soluções em cloud o que distingue esta gama Quadro, já com tecnologia de rendering Nvidia Iray e permitindo interligar as novas placas de computação Nvidia Tesla.

E falando de suporte multiplataforma e soluções CPU, a Nvidia aproveitou o Siggraph 2014 para mostrar mais uma vez a sua solução Tegra K1 “Denver” que será o primeiro processador ARM a 64-bit disponível para a nova geração de dispositivos Linux e Android. Depois de a Apple ter surpreendido o mercado com o lançamento em 2013 de uma gama completa de dispositivos móveis já totalmente baseados em processadores 64-bit, a Nvidia é agora a primeira empresa a prometer ao mercado uma solução que irá permitir aos fabricantes de soluções baseadas em Android e outros sistemas operativos evoluir igualmente para esse patamar.

O processador Tegra K1 a 32-bit assinalou aliás com sucesso a entrada da Nvidia neste novo espaço, superando largamente qualquer outra solução SoC baseada em arquitectura ARM graças à sua capacidade GPU integrada. Oito meses depois, a Nvidia anunciou a versão 64-bit e duplo núcleo do Tegra K1 com nome de código “Denver”, o primeiro no mercado totalmente compatível ARMv8 e que está já a servir de plataforma de desenvolvimento para a nova versão Android a 64-bit prometida pela Google.
 
  > Mais informações sobre as plataformas GPU Nvidia Quadro
 
  > Mais informações sobre o novo processador Nvidia Tegra K1 Denver