Para a iniciativa Thunderbolt da Intel e da Apple são só boas notícias. Com os discos portáteis Thunderbolt 2 finalmente disponíveis de forma generalizada (normalmente em capacidades de 2 a 4TB) e vários novos modelos de PC com portas Thunderbolt já disponíveis (para além dos Apple Mac que têm todos portas Thunderbolt 2), é nas aplicações profissionais que as atenções da indústria se têm concentrado, com sistemas impressionantes a ficarem disponíveis por preços difíceis de imaginar ainda há pouco tempo, tendo em conta o seu desempenho.

É sempre importante realçar – para os menos atentos – que uma ligação Thunderbolt é compatível e pode substituir com vantagem todas as ligações e interfaces PCI Express, HDMI, DVI, DisplayPort, FireWire e Gigabit Ethernet. Além disso, para aquelas pessoas que continuam a achar que USB 2.0 “chega perfeitamente”, basta recordar que o próprio consórcio USB já descontinuou tanto a tecnologia USB 2.0 como USB 3.0 (a norma actual é USB 3.1) e o próprio conector vai mudar, conforme a Elektor já noticiou.

Além disso, em aplicações de media profissionais, produção de cinema e televisão, pós-produção áudio e vídeo, nada chega perto do desempenho das especificações Thunderbolt 2 quando trabalhamos com imagens de resolução 4K sem compressão ou múltiplas pistas de áudio de alta resolução.

Mas o mais importante é mesmo sabermos que os produtos Thunderbolt 2 estão no mercado e largamente disponíveis, sendo compatíveis com plataformas PC e Mac. E a notícia que destacamos aqui, é que está disponível uma nova geração de sistemas de armazenamento Thunderbolt 2 com capacidades surpreendentes, de 48TB (!) em apenas 1U ou 24TB num chassis desktop.

No Japão, o governo acaba de fazer a comunicação já esperada de que a televisão de Ultra-Alta Definição (Ultra-HD) nas versões de 4K e 8K vai mesmo arrancar já em 2016, coincidindo com os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. O Japão vai iniciar emissões Ultra-HD via satélite nesse ano, tendo em vista a transmissão integral dos  Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, já nesse padrão de televisão. Ou seja, temos menos de cinco anos para nos prepararmos se quisermos ver os jogos em 8K (UHD2) e, já para o ano, podemos ver os Jogos Olímpicos em directo em 4K (UHD1), sendo que vários canais Europeus já confirmaram que vão iniciar canais 4K ainda este ano.

E é precisamente por isso que vamos precisar da tecnologia Thunderbolt 2. Porque até lá, nada vai permitir cadências de transferências de dados a 20 Gigabits por segundo – em modo bidireccional!

A primeira empresa a disponibilizar soluções Thunderbolt no mercado foi a Promise Technology e foi também esta marca a primeira a disponibilizar soluções de armazenamento Thunderbolt 2, incluindo no mercado EMEA, com os seus populares sistemas de disco Pegasus2. Agora, a Promise anunciou a disponibilidade dos primeiros sistemas de armazenamento RAID 5 em Thunderbolt 2 para soluções NAS e com drives removíveis, em capacidades de 8TB de base, até 32TB com 8 drives.
Igualmente disponível na Promise, está a solução SANLink2 de interface Thunderbolt2 para dupla porta Fibre Channel 8Gbps (pois é, de repente o Fibre Channel está obsoleto!).

Para quem precisa simplesmente de uma solução de armazenamento desktop de grande capacidade em Thunderbolt 2, a OWC (Other World Computing) acaba de anunciar a disponibilidade do seu novo sistema ThunderBay 4, com duas portas Thunderbolt 2 e uma capacidade de armazenamento até 24TB em RAID 5 (configurável pelo utilizador em RAID 0, 1, 4, 5, ou 1+0). Esta solução extramente silenciosa, pode mesmo ficar no espaço de trabalho e está equipada internamente com um sistema de redução de vibrações, para evitar ressonâncias em cima do próprio mobiliário. Ou seja, feita à medida dos novos Mac Pro da Apple. Quem quiser uma solução destas, pode comprar uma versão de 4TB por apenas cerca de 540 euros ou ir até aos 24TB por 1800 euros (quatro drives de 6TB cada, a 7200 RPM).

Outra marca de forte reputação neste segmento é a LaCie que acaba também de anunciar a disponibilidade do sistema de armazenamento Thunderbolt 2 de 48TB, mais compacto (apenas 1U) e o mais rápido do mercado. O sistema chama-se LaCie 8big Rack Thunderbolt 2 e atinge velocidades de acesso de 1330 MB/s graças à integração de oito drives de disco Seagate 6 TB a 7200 RPM (para quem não se lembra, a LaCie pertence à Seagate Technology). Esta é uma solução pensada já de raiz para suportar estações de televisão e produtoras que queiram trabalhar em materiais 4K sem compressão com aplicações como o Apple Final Cut Pro, Adobe Premiere ou Blackmagic DaVinci Resolve 11. Em aplicações exigentes como estas, o novo LaCie 8big Rack supera qualquer solução rival existente em Fibre Channel e permite criar sistemas de armazenamento SAN até 1,7 PB (Petabytes), como ilustramos na imagem. Um sistema LaCie 8big Rack 48 TB custa cerca de 5000 euros, mas podemos comprar uma versão de 12 TB  por cerca de 1500 euros, ou de 24 TB por cerca de 2300 euros.

Mas nem só de armazenamento se trata quando observamos as novidades em Thunderbolt 2. A Tehuti Networks, por exemplo, apresentou um adaptador 10 Gigabit Ethernet para Thunderbolt 2 que é capaz de fazer streaming de vídeo a 4K em redes LAN ou WAN. A empresa israelita de semicondutores afirma que as infraestruturas Ethernet a 10 Gigabit são exactamente o que a indústria necessita para os actuais processos de produção 4K, sendo a ponte entre Thunderbolt 2 e as redes 10GbE uma forma ideal de combinar ilhas de produção com redes de colaboração e sistemas de armazenamento partilhado. A tecnologia da Tehuti Networks é também perfeita para instalar em salas de cinema digital e mesmo em instalações residenciais, onde os conteúdos produzidos em 4K (4096×2160 pixels) e UHD (3840x2160) estão cada vez mais presentes. Com esta combinação, o vídeo pode ser armazenado sem compressão nas etapas de produção e pós-produção, podendo ser distribuído com compressão noutras aplicações menos críticas. A Tehuti afirma mesmo acreditar que é mais viável equipar computadores portáteis com portas Thunderbolt 2 do que estar a instalar placas de rede Ethernet 10GbE, uma vez que estas ligações são directamente compatíveis e suportam até 20Gbps nos dois sentidos.

Finalmente, há ainda que referir acessórios como o novo adaptador Dual-Port 10GBase-T para Thunderbolt 2 que a Sonnet acaba de colocar no mercado, permitindo assim aproveitar ao máximo as ligações de rede. Tal como os responsáveis da Sonnet explicam, “com os preços dos equipamentos de infraestrutura 10 Gigabit Ethernet a descer rapidamente, os centros de dados e muitas empresas estão a adoptar este padrão para as suas redes cabladas, suportando processos de edição de vídeo 4K em sistemas de armazenamento partilhado, por exemplo. No entanto, como poucos computadores têm interfaces 10GbE, o nosso adaptador de duas portas para Thunderbolt 2 garante uma forma simples e económica de garantir a integração de portáteis e estações de trabalho”. O adaptador tem duas portas RJ45 10GbE e duas portas Thunderbolt 2. Os conectores de rede Ehernet permitem ligar cabos CAT-6 ou CAT-6A para percorrer directamente distâncias até 55 ou 100 metros, respectivamente.”

Através de uma das portas Thunderbolt 2, o adaptador Sonnet Twin 10G liga o computador ao rede, enquanto a segunda porta Thunderbolt 2 pode suportar até seis dispositivos adicionais ligados em cadeia. O adaptador Twin 10G faz também agregação das duas ligações 10GbE para atingir velocidades sustentadas e garantir redundância, caso uma das ligações falhe. Esta solução, que custa cerca de 500 Euros, vem com uma aplicação de configuração da própria Sonnet para Mac OS X ou Windows Device Manager.

Ver mais informação sobre estas soluções:
 
  > Promise Technology
 
  > OMC
 
  > LaCie
 
  > Tehuti Networks
 
  > Sonnet