A empresa norte-americana SanDisk Corporation, conhecida globalmente mais pelos cartões de memória flash do que pelas suas soluções empresariais, anunciou recentemente a disponibilidade de novas drives SSD de 4TB em formato de interface SAS (Serial Attached SCSI), para aplicações empresariais. Estas drives SSD tiram já partido da nova tecnologia de módulos NAND Flash de 19 nanómetros com que a marca está a actualizar igualmente toda a sua oferta. As novas drives SSD Optimus MAX da SanDisk são as primeiras no mercado a atingir esta capacidade (para sermos honestos ainda nunca tivemos na mão uma drive SSD de 2TB, mas elas devem andar por aí...) que, segundo o fabricante, corresponde precisamente ao que a indústria estava à espera para suportar aplicações em grandes servidores e sistemas de armazenamento que ainda dependem de drives de disco de 2,5”. Tipicamente, nestes sistemas mais potentes e críticos, usam-se actualmente discos rígidos de 2,5” de 4TB, com velocidades de acesso de 10K e 15K rpm em vez dos comuns 7200 rpm que encontramos normalmente nos sistemas de consumo.
 
Ao substituir directamente discos de 4TB em formato de 2,5”, estas novas drives SSD da SanDisk permitem manter exactamente a mesma capacidade de armazenamento existente nos bastidores, com uma velocidade de acesso aos dados que não se compara e que, na verdade permite um nível de rentabilidade operacional e funcionalidades que compensam largamente o “pesado” investimento – segundo a própria SanDisk documenta.
 
Melhor dizendo, as drives Optimus MAX SSD com interface SAS têm uma relação preço/desempenho que é precisamente aquilo que muitas empresas estavam à espera para começaram a fazer a transição de discos menos fiáveis para sistemas robustos baseados em Flash NAND.
 
E claro está, esta solução é adequada a instalações de segurança crítica onde o investimento em drives SSD deste tipo é visto numa perspectiva completamente diferente – ao longo de um período mais alargado de exploração. Esse é precisamente o mercado que já estava a usar discos rígidos de alta velocidade que também não eram propriamente muito baratos.
 
Mas a principal questão era a capacidade. Nenhuma operação de centro de dados queria fazer a substituição directa dos discos que tem em bastidor, sabendo que a capacidade iria ser inferior, até pelas dificuldades que isso implica do ponto de vista de migração de dados. Sendo a capacidade destas drives SSD de 4TB, exactamente a mesma que está disponível nos discos de melhor desempenho que existem para aplicações de grande armazenamento, essa questão não se coloca.
 
Segundo a SanDisk, as drives SSD Optimus MAX, trazem mesmo significativas reduções em termos de custos de infraestrutura, com meno espaço de bastidores, menos fontes de alimentação, menor consumo e maior eficiência no acesso aos dados.
 
Estas drives da SanDisk vêm já com a habitual suite de soluções de segurança e recuperação de dados, permitindo assim também apelar a utilizadores com soluções de média e pequena escala que procurem maior desempenho e robustez.
 
Juntamente com as novas drives SSD de 4TB Optimus MAX, a SanDisk anunciou igualmente a actualização de toda a sua família de soluções SSD NAND Flash usando já os novos módulos MLC de 19nm, agora com as designações Optimus Ascend e Optimus Extreme.
 
  > Saber mais sobre a gama de drives SSD Optimus MAX