A empresa Sensorstream é uma startup fundada por um rapaz esperto de Boston chamado Tom Rapko que diz que o seu objectivo é o de colocar “um computador em cada pulso”. Para isso, acaba de ver patenteado o seu conceito Pi Smart Watch Case que é basicamente uma caixa genérica – circular – igualzinha àquela que todos os relógios tradicionais têm e que ninguém se tinha lembrado de patentear.

Numa altura em que a Samsung não pára de lançar “Relógios Inteligentes” numa tentativa desesperada de se antecipar ao iWatch que a Apple irá supostamente lançar – e que até agora não passou de rumores – que hipótese é que um jovem empreendedor terá de capitalizar num mercado potencial de triliões? Assim nasceu a Sensorstream, uma empresa que se propõe combinar “estética e utilidade” criando uma “tecnologia disruptiva” que é a Pi Smart Watch Case. Segundo as palavras do próprio, “um desenho inovador que combina um ecrã circular, um corpo sem botões e sistemas electrónicos modulares integrados”. A Sensorstream fala inclusivamente de “carregamento sem fios” e de outras tecnologias interessantes, supostamente potenciadas por esta “invenção”.

Mas afinal de contas a Sensorstream desenvolveu um sistema integrado de ecrã com electrónica embebida e sensores para criar um verdadeiro “computador de pulso”? Se fosse assim, Tom Rapko já estaria provavelmente a trabalhar para a Google ou uma qualquer empresa chinesa ou coreana. Nada disso... A Sensorstream e Tom Rapko apenas são notícia porque conseguiram obter do USPTO (United States Patent and Trademark Office) a patente de uma “caixa de relógio circular” a que deram o nome de “Pi”. Aparentemente, a patente foi atribuída porque a “invenção” destina-se a ser usada num “smart watch”, ou um computador de usar no pulso, não para relógios – coisa que não teria qualquer interesse.

Isto até poderia ser divertido, se não fosse extremamente triste ver como o organismo de patentes norte-americano aprova uma patente de um desenho de “smart watch case” com ecrã circular! Naturalmente que Tom Rapko já afirma no seu blog que está aberto a ofertas de aquisição e licenciamento desta sua “caixa de relógio sem botões” com “suporte electrónico modular e actualizável”.

A Sensorstream anuncia até a venda de protótipos desta caixa, feitos numa impressora 3D, por $49,95 e opções, tal como uma tampa de vidro Gorilla Glass ou uma correia de relógio “resistente”, por 19,95 e 14,95 dólares,  respectivamente!

Tal como Tom Rapko descreve a sua empresa – optamos por não traduzir: “Sensorstream is a struggling start-up based in California trying to make a dent in the universe with disruptive wearable technology.”
 
  > Visitem o website da empresa aqui