Depois de a Apple ter apanhado toda a sua concorrência desprevenida ao actualizar de uma assentada toda a sua gama de dispositivos móveis com sistema operativo iOS e processadores a 64-bit, a indústria de semicondutores tem estado a trabalhar intensamente para conseguir colocar no mercado plataformas que permitam aos restantes fabricantes acompanhar esta autêntica revolução que colocou subitamente smartphones e tablets ao nível dos computadores desktop mais recentes.

A MediaTek é uma empresa de semicondutores “fabless” (o que significa que não têm fábricas) que tem vindo a acelerar o ritmo de implementação de sistemas integrados de comunicação sem fios e conectividade para televisores, leitores de Blu-ray e, claro está, smartphones e tablets. Esta empresa com sede em Taiwan (Formosa) foi a primeira a colocar no mercado uma plataforma de processamento LTE de oito núcleos (octa-core), tornando-se assim notada no mercado de todas as marcas de smartphones que tentam desesperadamente sobreviver num mercado onde a Apple dita as regras e a Samsung esmaga constantemente todas as margens de competitividade das restantes marcas.

Claro está, a própria Samsung está desesperadamente a tentar colocar no mercado plataformas móveis a 64-bit e esta solução 8-core a 64-bit da MediaTek vem precisamente demonstrar que, brevemente, todos os fabricantes asiáticos irão igualmente por aí – esperando-se que a nível dos sistemas operativos e API’s a resposta permita igualmente acompanhar essa evolução. Segundo a MediaTek afirma, será possível ver novos modelos de smartphones baseados no chip MT7695 já no final de 2014.

Olhando com maior atenção para o anúncio da MediaTek, vemos que esta anunciou directamente o seu novo sistema SoC MT6795 como uma solução directa para smartphones e tablets LTE/4G topo de gama, oferecendo os argumentos de 8 núcleos de processamento associados ao suporte de ecrãs de 2560 x 1600 de resolução (2k). Mas esta plataforma para sistemas móveis combina igualmente tecnologia FDD/TDD LTE, WiFi 802.11ac, Bluetooth, GPS, rádio FM e suporte para as redes 2G e 3G antigas. O chip suporta igualmente a gravação e reprodução de vídeo a 2K (no anúncio claro que eles falam de Ultra HD, mas não é verdade, porque o primeiro nível UHD1 implica 4K), com suporte de compressão H.265, H.264 e VP9, gravação de vídeo 1080p até 480 frames por segundo e suporte de ecrãs com refrescamento de 120 Hz, o que será excelente para os adeptos da imagem.

Aliás, a MediaTek afirma que esta sua nova plataforma SoC integra já processamento para 16 Megapixels com tecnologia que elimina efeitos de persistência de movimento, garantindo assim a reprodução exacta de imagens a 60 fps. Ou seja, para todos os efeitos, todas as capacidades para gravar e reproduzir vídeo HD 1080/60p num ecrã 2K a 120Hz, o que já é excelente.

Para garantir estas funcionalidades, a MediaTek revela que o MT6795 usa oito processadores ARM cortex A53, baseados em processos de 28 nm e com memória LPDDR3 de duplo canal a 933MHz. Com uma velocidade de relógio até 2.0 GHz e processamento gráfico Mali-T760 GPU para garantir o controlo do ecrã de alta resolução, a MediaTek afirma igualmente que a sua tecnologia CorePilot garante o desempenho do processador multi-núcleo e o controlo térmico do chip.

Claro está, não sabemos exactamente qual o nível de desempenho que será possível obter destes oito núcleos de processamento do MT6795, sendo provável que muitos dos fabricantes de smartphones não estejam sequer a pensar em suportar ecrãs de 2K, mas a verdade é que esta nova plataforma SoC irá constituir das primeiras alternativas para experimentar o sistema operativo Android a 64-bit que a Google afirma estar a desenvolver para lançamento no final do ano.
 
  > Visitar o website da MediaTek para mais informações