Pouco tempo depois da fundação Raspberry Pi ter anunciado o lançamento da versão melhorada da placa Raspberry Pi Model B+, a Intel lançou uma nova versão da placa Galileo, a Galileo Gen 2. Esta placa de desenvolvimento que foi a primeira plataforma de arquitectura Intel com certificação Arduino, pensada especificamente para entusiastas da electrónica e educação, continua a ter um SoC Intel Quark X1000 de núcleo simples (tipo Pentium) e as mesmas especificações base da placa Galileo original, beneficiando essencialmente de pequenas alterações que foram em grande parte sugeridas pela própria comunidade de desenvolvimento.

Mas há outra razão para o lançamento desta placa Galileo Gen 2 e que tem a ver com o prometido suporte Windows. Agora, a Microsoft disponibilizou uma versão não-comercial de 174 MB do Windows, baseada em Windows 8.1 (que na versão comercial pesa mais de 3GB), especificamente para esta plataforma de desenvolvimento. De acordo com a Microsoft, “esta versão do Windows é mais uma oportunidade para a comunidade de desenvolvimento poder criar e gerar novas ideias, ajudando a Microsoft a melhorar o Windows nesta classe de dispositivos”.

A placa Galileo Gen 2 e o novo sistema operativo fazem assim parte do Windows Developer Program para Internet of Things (IoT) que a Microsoft anunciou recentemente. Assim, para além dos kits Galileo incluírem a API Arduino standard, agora suportam igualmente uma versão da API Win32, tentando cativar a comunidade de desenvolvimento a sair do universo Linux mais acessível. A nova versão da placa Galileo acrescenta sinais de controlo PWM melhorado, tornando esta plataforma mais adequada, por exemplo, para aplicações de robótica e gestão de impressoras 3D. Além disso, a Galileo Gen 2 pode ser alimentada pela porta Ethernet, o que não era possível na primeira versão.

Esta nova versão do Windows não suporta a primeira geração do hardware Galileo obviamente e a Intel já veio anunciar que irá impulsionar o seu programa original de promoção da plataforma, oferecendo mais de 50 000 exemplares da placa Gen 2 a cerca de 1000 universidades.

Entre outras novidades da Galileo Gen 2, um interface UART USB TTL de 6 pinos e 3,3V substitui o jack de 3,5mm e porta RS-232 que era usado para depuração. O novo conector de 6 pinos permite compatibilidade com cabos série FTDI USB e placas de expansão USB-para-Série mais populares. Além disso, existem agora 12 GPIO nativos para maior velocidade e o já referido controlo PWM a 12-bit e suporte Power-over-Ethernet (PoE) a 12V, exigindo a instalação de um módulo PoE adequado. A alimentação pode agora também ser alterada para aceitar fontes entre 7V e 15V.

Esta nova versão Windows 8.1 para aplicações IoT permite compatibilidade com a arquitectura x86 a 32-bit, em alternativa a microcontroladores 8-bit ou 16-bit, tendo sido optimizada para poder correr no processador Intel Quark a 400 MHz da Galileo Gen 2. Quem desejar trabalhar com esta versão “não-comercial” terá que se inscrever no programa de desenvolvimento IoT da Microsoft.
 
  > Aceder ao site da Intel para mais informações sobre a Galileo Gen 2
 
  > Aceder ao programa Windows Developer Program para Internet of Things (IoT) da Microsoft